Capítulo x - Eles estão em Perigo

Ele ainda não se sentia bem, uma tontura, um enjoo. Mas pelo menos já não estava embriagado pelo remédio. Harimau se ajeitou na cama e a adomecida Wandaelis também se mexeu com a cabeça apoiada no peito dele com os cabelos negros lhe roçando os músculos.

Linda. Como era ela linda. Ela ali deitada abraçada a ele com suas costas nuas elegantes iluminadas pela luz da lareira. A mulher mais linda que já tivera em sua curta mais turbulenta vida. E era uma maga; Wandaelis, a Mística.

Wanda se mexeu novamente apertando o seu corpo ainda mais contra o de Harimau, abraçando-o enquanto dormia lançando a mão esquerda no tórax dele.

O corpo do garoto já dava sinais de excitação, ele sentia os alvos seios dela tocando-lhe a carne morena.

- Wanda? – Chamou ele. – Wanda?

Ela sonolentamente abriu os olhos, enfim estava descansada depois dos intensos e dolorosos últimos dias.

- Hari! – Disse a bela maga sorrindo. De onde ela estava via claramente a excitação do rapaz sob a luz crepitante das chamas da lareira. – Não esperava tanto ardor para um monge, acreditava que vocês fossem mais calminhos. Mais zen. Você está mesmo doente? – Disse Wandaelis dando um riso.

Harimau só percebeu sua excitação quando ela lhe disse e nervoso tropeçou nas palavras como o de costume. Ficava ainda mais embaraçado com ela, e a própria maga já havia percebido isso. O jovem flertador e sedutor, agora nervoso quando encontrara uma mulher de atitude.

- Wanda. Não é isso. Algo está errado. Eles estão demorando muito para retornar da casa de banhos. Eu devia ter ido com eles. Eu devia ter ido lutar naquela tal de arena.

Não seja ridículo. – Retrucou ela com voz áspera já subindo os olhos da excitação para o rosto juvenil dele. – Ninguém, nem Gillian e nem eu jamais permitiríamos que você lutasse até a morte por um motivo tão imbecil. Um par de pistolas não vale uma vida. Aliás, Hari nada vale. – Continuou Wanda levantando o seu corpo da cama, ficando de lado.

- Não estou dizendo que vale. Mas eu poderia resolver isso. Eu venceria. Muitos monges lutam embriagados, de acordo com um certo estilo marcial. Eu não o conheço, mas já o vi em ação. Conseguiria me virar. Eu venceria Wanda. Eu sei que eu poderia vencer.

A maga sentou-se, como ele era teimoso a esse respeito pensou ela. Harimau era tão confiante. Ela ficou na dúvida se achava isso um charme ou uma imbecilidade.

Harimau se apoiou nos cotovelos, seus olhos perdidos nos alvos seios dela. Wandaelis estava ficando nervosa, contrariada, tentando fazê-lo entender que ela e seus amigos jamais o colocariam por livre e espontânea vontade em uma situação daquelas. O rapaz estava preocupado com seus amigos que demoravam, mas a rispidez de Wanda e a visão que estava tendo fazia seu corpo vibrar. Sua excitação pulsar.

- Eles estão demorando muito. – continuou Harimau. – Algo deu errado. Não é possível tanta demora. – Disse ele ainda com os olhos perdidos nos seios dela. – Temos que ir atrás deles. E rápido.

– Wanda. Nisso você tem razão. – Concordou ela com olhos perdidos também pelo corpo dele.

A paixão tomava conta dos dois. Um misto de atração física e cumplicidade emocional. Vivências passadas e carências. Eles se sentiam bem quando estavam juntos, um entendia o outro de maneira como nunca haviam encontrado antes.

Harimau voou da cama por um lado, Wanda pelo outro. O jovem monge puxou suas bandagens e começou a ata-las nos seus punhos. Era algo que levava certo tempo. Já a maga já puxava suas coisas, roupas e preparava seu equipamento. Uma característica de Wanda, possivelmente ganha de seu pai era “Sempre estar preparada para tudo. Em qualquer lugar ou momento”.

Wandaelis já pronta correu para a porta. Harimau ergueu os olhos e não acreditou que uma mulher pudesse se vestir tão rápido. Ele já terminara a bandagem dos bíceps e de um braço, estava a terminar a do segundo.

- Apresse-se Hari! Wanda já sob o batente da porta.

Hari agarrou sua jaqueta de couro sem mangas e seu shorts e voou pela porta.

Com apenas um movimento Wanda fechou a porta e desceu correndo pelo caminho de pedras da colina. Harimau vinha atrás dela pulando em uma perna só tentando se vestir enquanto corria.

Passando pelo pórtico de pedra da colina a maga passou voando por Brandy, o Trovador do Ar que se dirigia para a Torre de Randall, ela não o viu. Anões do Ar parecem ter essa característica, de normalmente passarem desapercebidos. Ou também, Wandaelis estava apressada e preocupada. Hari tinha razão, algo acontecera. Aquele desgraçado Fasal deve ter aprontado mais uma vez. E ela estaria disposta a deixar a diplomacia e fazê-lo pagar, caso tenha feio alguma coisa a Lia, Crono e Gillian.

- Oh! – Surpreendeu-se Brandy com o passar apressado de Wanda.

- Brandy! Brandy! อ้วน! – Esbravejou Harimau. – ที่อ้วน. Que bom cara. คนที่อ้วนเร็วมากๆคนที่อ้วน. Vamos.

- O que foi que você disse? – Perguntou Brandy franzindo o cenho.

- Nossos amigos estão em perigo. Temos que ir atrás deles. No caminho eu te explico – respondeu Hari.

E os três passaram correndo atrás do Le Pardiu sem sequer se darem conta da movimentação, tumulto e choradeira que estava ali. Pessoas nervosas e assustadas.

Wot o filho do padeiro estava sendo carregado, nu e com o corpo completamente queimado. Dona Egis chorava, atrás dela o varandão vazio do café e além a silhueta da cidade. Colunas de fumaça.

Teogor pegara as chaves do estábulo e corria pelo varandão do hall de entrada passando pelo pé das escadarias onde Estelins com as mãos na boca era consolada pelo Tabeleião Hookerbrook.

As portas do estábulo foram abertas e Teogor voou para dentro ao mesmo tempo que Brandy virava a esquina, seguindo Harimau que falava sem falar e o bardo nada entendia.

Wanda viu dona Rura entrar nervosa em sua casa e bater a porta. Ouviu claramente o som da barra de madeira sendo passada.

Hari olhou para o alto e viu uma senhora olhando pela janela enquanto ninava um bebê no colo. “Ainda bem que já subi minhas calças.” Pensou ele. Não que se envergonhasse, mas Harimau se lembrava muito bem do frisson que causara com sua naturalista forma de se portar.

Brandy corria seguindo Hari e Wanda. Por trás dele no cruzamento, um carroção passou em alta velocidade e abarrotado de coisas. Uma família inteira se aglomerava no chocho. Um grupo de soldados passava correndo em sentido contrário.

O trio continuou descendo pela rua dos patos, ainda sem ainda se darem conta que algo estava errado em Aurora.

Muito errado.

Capítulo x - Eles estão em Perigo

Zaev, Magia, Glória & Sangue Guto