Panteão


Rascunho inicial, depois irei colocar as questões históricas envolvendo os cultos, principalmente a Guerra Santa (Período em que os Paladinos sairam em Cruzada contra os falsos deuses e os Clérigos do Deus do Conhecimento organizaram e unificaram os panteões)**********

O Panteão de Zael possui 23 deuses maiores, que estão presentes em TODAS AS culturas dos continentes de Vothen e Planalta, nesse caso, esses são os nomes mais comuns desses deuses:

O Panteão de Zael possui 24 deuses maiores, esses são os nomes mais comuns desses deuses:

Deuses do Bem:
Valkran – Deus da Criação e da Vida – Patrono dos Humanos – “O Grande Pai”
Domínios: Bem – Glória
Símbolo: Leão
Vaisling – Deus dos Viajantes e das Almas – “O Protetor das Pontes”
Domínios: Viagem – Ar
Símbolo: O Velho Vento
Seleen – Deusa das Artes, Amor (LUA) e Protetora da noite – “A Prateada”
Dominio: Charme – Cura
Símbolo: Crescente Prateada
Lexagon – Deus do Conhecimento e do Tempo – “O Velho Sábio”
Domínio: Conhecimento – Mágica
Símbolo: Pena Dourada
Kiryl – Deus da Luz, Sol e Fertilidade (Verão) – Patrono dos Elfos – “O Iluminado”
Domínio: Sol – Liberdade
Símbolo: Sol ou Cervo Iluminado
Krixus – Deus da Guerra e da Vitória – “O Rei Guerreiro”
Domínio: Guerra – Força
Símbolo: Cavalo Rubro
Bellenux – Deus da Justica, dos Cavaleiros – Patrono dos Dragões Bons – “O Wyrm Prateado”
Domínio: Ordem – Proteção
Símbolo: Dragão Prateado
Daragov – Deus das Montanhas e do Fogo, Construção e Destruição – Patrono dos Anões – “O Fogo Criador”
Domínio: Fogo – Artífice
Símbolo: A Manopla Flamejante

Deuses Neutros:
Ekhnos – Deus dos Construtores e Inventores – “O Deus Perdido”
Domínio: Artífice – Runa
Símbolo: Triangulo c/ Olho
Shin – Deus da Morte e da renovação (Outono) – “O Vento das Almas”
Domínio: Repouso – Glória
Símbolo: A Rosa Branca
Dellene – Deusa dos Sonhos e da Adivinhação – “A Lua Rubra”
Domínio: Conhecimento – Repouso
Símbolo: A Crescente Vermelha
Aknariel – Deusa dos Mares, dos Rios – “O Grande Marinheiro”
Domínio: Água – Liberdade
Símbolo: A Onda
Maiah – Deusa da Natureza e da Vida (Primavera) – “A Grande Mãe”
Domínio: Terra – Animal – Planta
Símbolo: A Árvore Trançada
Tassilys – Deusa da Sorte e da Fortuna – “A Coroada”
Domínio: Sorte – Nobreza
Símbolo: Coroa
Vaelerya – Deusa da Magia – “A Brilhante”
Domínio: Mágica – Proteção
Símbolo: A Chama Púrpura
Etherfinys – Deusa das Tempestades e do Inverno – “A Velha”
Domínio: Clima – Ar
Símbolo: O Raio Prateado

Deuses Malignos:
Xaal – Deus da Punição, Destruição e do Mal – “O Lorde das Trevas”
Domínio: Mal – Destruição
Símbolo: Estrela Negra
VØrdrich – Deus das Sombras e da Trapaça – “O Sombrio”
Domínio: Trapaça – Escuridão
Símbolo: O Olho Negro
Darrazadrin – Deus da Fúria, da Força – Patrono dos Cavaleiros e Dragões Malignos – “O Wyrm das Trevas”
Domínio: Força – Detruição
Símbolo: O Dragão Vermelho
Shae – Deusa da Noite e das Almas – “A Sombra Inominável / Aquela que não tem nome”
Domínio: Escuridão – Charme
Símbolo: A Vela Negra
Zara – Deusa do Medo, das Pragas e das Doenças – “A Rastejante”
Domínio: Mal – Loucura
Símbolo: A Vespa
Laethya – Deusa da Magia Negra, dos Mortos – Patrona dos Necromantes – “A Maldita”
Domínio: Morte – Mágica
Símbolo: O Crânio Negro
Vyntër – Deus do Medo, Caos e do Desconhecido – “O Estranho”
Domínio: Caos – Loucura
Símbolo: O Crânio do Ciclope
Arshvah – Deusa dos Monstros e do Submundo – Patrono dos Orcs – “A Mãe Sangrenta”
Domínio: Força – Animais
Símbolo: O Crânio Monstruoso

Deuses Menores: Entendem-se como deuses menores em Zael, divindades, que são na verdade manifestações menores de algum dos deuses maiores. Assim, Divindades específicas e louvadas em menor proporção, são na verdade manifestações específicas, de uma determinada face do deus. Exemplos abaixo:

Fleur – Divindade do Inverno – Manifestação de Etherfinys
Paena – Divindade da Primavera e Agricultura – Manifestação de Mayah
Vinae – Divindade do Outono e da Renovação – Manifestação de Shin
Evolan – Divindade do Verão – Manifestação de Kiryl
Orios – Divindade dos Soldados – Manifestação de Krixus – Patrono dos Robgoblins
Belkan – Divindade das Festas – Manifestação de Seleen
Hordrion – Divindade da Vingança – Manifestação de Xaal
Lox – Divindade dos Juízes – Manifestação de Belenux
Farsh – Divindade do Azar – Manifestação de Vyntër
Enook – Divindade das Estradas – Manifestção de Vaisling – Patrono dos Anões do Ar (Halflan)
Algaron – Divindade das Criaturas Marítimas e dos Marinheiros – Manifestação de Aknariel
Leffhan – Divindade dos Caçadores – Manifestação de Kiryl – Patrono dos Rangers
Drukav – Divindade das criaturas do subterrâneo – Manifestação de Arshvah – Patrono dos Orcs
Vaegon – Divindade os Magos Negros – Manifestação de Laethya – Patrono dos Elfos das Sombras
Iberion – Divindade da Força e Sobrevivencia – Manifestação de Krixus – Patrono dos Gigantes e Golarions
Thiryus – Divindade dos guardiões e guardas – Manifestação de Bellenux

(todos os panteões possuem os mesmos deuses, só muda o nome)

PANTEÃO ÉLFICO
Baseado na natureza, o Panteão Élfico possui a Alta Corte Divina, e o Panteão Estelar
Corte Divina:
Sol (Kiryl)
Terra (Mayah)
Lua (Seleen)
Água (Aknariel)
Fogo (Daragov)
Ar (Vaisling)
Raios (Vyntra)

Panteão Estelar – São as estrelas mais brilhantes das constelações:
Estrela Axion – Constelação da Espada (Krixus – Guerra)
Estrela Lox – Constelação do Dragão (Bellenux – Justiça)
Estrela Eride – Aurora Boreal (Vaelerya – Magia)
Estrela Taris – Cosntelação do Crânio (Shin – Morte)
Estrela Arus – Constelação do Coração (Valkran – Vida)
Estrela Stirn – Constelação do Martelo (Daragov – Construção)
Estrela Agonis – Constelação da Pena (Lexagon – Conhecimento)
Estrela Yo – Constelação do Olho (Dellene – Adivinhação)
Estrela Haddia – Constelação da Coroa (Tassilys – Sorte)

Os elfos não dão nomes aos deuses do Mal, para eles, todos são manifestações do Mundo das Sombras / Plano Negativo.

Segue abaixo uma sugestão de Layout para o texto da descrição dos deuses e suas doutrinas.

O Herdeiro de Aex, Valkran liderou os Deuses na épica guerra contra os Antigos e contra seu irmão Xaal, o Destruidor. Sua força e sabedoria levou-o posto de Senhor dos Deuses, da Criação e Protetor da Vida


DEUS DA CRIAÇÃO E DA VIDA
Patrono dos Humanos

Domínios: O Bem e a Glória
Símbolo: O Leão

Manifestação mais Comum: O Leão Gigante, o Velho Sábio, O Paladino sem armas


Quando seus olhos se abriram, ardiam do suor e da luz do sol que brilhava sobre sua cabeça. Aos seus pés areia suja de sangue entravam por entre seus dedos dos pés descalços, em sua mão esquerda havia um escudo, e sua glaive estava caída na areia ao alcance de sua mão enluvada.

“Ó luz da vida, proteja me e que faça desse dia, o dia da minha liberdade”, pensou.

Darian se ergueu do chão, e aos poucos seus ouvidos foram se acostumando aos sons do que acontecia ao seu redor. Homens lutavam entre si. Humanos, todos… Pessoas que poderiam ser irmãos, se matavam com espadas, lanças, maças… Usavam armaduras de couro e bronze, armaduras leves, algumas já remendadas. E elmos toscos, para proteger suas cabeças sem valor.

Eram todos escravos. E lutavam para satisfazer os desejos das pessoas que gritavam nas arquibancadas que cercavam o local em que eles se encontravam. Nas arquibancadas mais humanos… Muitos xingando e esbravejando, uns contra os outros. Algumas mulheres, crianças também. Era um festival de sangue e desgraça para alimentar a sede daqueles homens por morte e lutas. Darian estava numa arena.

E no palanque principal, estavam eles… Os senhores da cidade, lordes centauros com seus asseclas humanos. Aqueles que ali estavam aguardavam pela diversão principal. Que só viria para quem sobrevivesse àquela luta onde Darian se encontrava. Ele sabia o que era. Em seus sonhos, uma criatura feroz vinha até ele e lhe contara, lhe dissera o que iria acontecer, era só esperar…


De repente, os sons cessaram. Um ultimo escravo foi morto, pelo grupo de gladiadores do qual Darian fazia parte. Um silêncio reinou por pouco tempo na arena e o homem cavalo que se encontrava na posição de Senhor, no alto do palanque ordenou, com sua expressão de tédio:

“Abram a jaula, liberem as bestas”

Duas grades levantaram, abrindo entradas largas e sem luz em frente a Darian e seus companheiros, logo abaixo do palanque onde se encontravam os nobres centauros, eram de lá que saiam os monstros mais perigosos das arenas. Da escuridão, um rugido estremeceu as arquibancadas, assustando todos os espectadores daquela tarde.
Aos poucos, de dentro da escuridão surgiram leões. 2, um de cada entrada… Eram leões magníficos! Imensos, mediam cerca de 6 metros de altura, tinham presas e garras capazes de rasgar homens em 2 pedaços com um só golpe. Os companheiros de Darian olhavam para ele, eles sabiam do sonho que ele tivera na noite anterior, sabiam que hoje era o dia da liberdade.

Por entre a viseira de seu elmo, Darian olhou diretamente nos olhos do Leão mais próximo. Era exatamente o que ele tinha visto em seus sonhos… “O Leão que Ruge o Sopro da Vida”, falou baixo, como que só para si mesmo. Ele largou o escudo no chão, retirou o elmo e jogou-o para o outro lado e foi andando até a fera. Um silêncio sepulcral permanecia na arquibancada e aquele homem, que não media nem um terço ia em direção ao leão gigante. Sem armas ou proteção alguma…

Darian chegou muito perto do Leão. Dava para sentir o cheiro do animal e sua respiração pesada. O outro leão estava um pouco atrás desse, e acompanhava-o com o olhar. Darian estendeu a mão para o leão gigante… E de repente, o leão estava com sua cabeça na mão do escravo. Um contato que surpreendeu a todos, e foi recebido com um som de espanto pela arquibancada.

Darian chorava. Era real, ali estava seu Deus, Valkran na lingua dos homens. Enfim valera acreditar em algo, enfim eles teriam a liberdade…. continua


Panteão

Zaev, Magia, Glória & Sangue Xaal